Corporativo

Price Discrimination – Como usar essa estratégia para o turismo?

A todo tempo surgem novas estratégias para aumentar a lucratividade das empresas sem prejudicar a experiência do cliente e é justamente essa a função do price discrimination. 

Esse termo é usado para fazer referência às estratégias de precificação, adequadas a cada perfil de cliente e sempre tendo como base o máximo de dados possível sobre eles.

Os estudos sobre o assunto costumam apontar três graus de aplicação dessa estratégia que são utilizados em vários segmentos de mercado, inclusive no turismo.

Veja quais são e como aplicar para vender passagens aéreas de forma satisfatória para a companhia e para o viajante. 

1º grau

É o nível mais incomum de price discrimination porque consiste em oferecer preços diferentes de acordo com o que cada cliente está disposto a pagar.

Nesse caso, as empresas precisam de automatização para fazer as propostas e informações de renda dos consumidores, o que nem sempre é possível.

Porém é uma alternativa que facilita a vida da empresa, uma vez que o preço é aberto a negociação e pode sair maior do que o planejado. Ou menor, cabe avaliar. 

2º grau

Esse tipo de estratégia você com certeza já viu por aí. Sabe aquela promoção atacadista, que leva mais e paga menos? É exatamente isso.

Redes de fast food também costumam usar como gatilho para aumentar o preço dos produtos, por exemplo, um combo com uma batata frita de 300g é 1 real mais barato que o combo com 500g. 

Para o consumidor vale a pena, afinal são 200g de batata a mais por um preço relativamente menor do que se fosse comprado um pacote individual com o mesmo peso. Para o restaurante aquilo não custou mais do que cinco centavos.

Geralmente nos aeroportos existem promoções para famílias, para passagens de ida e volta e, no caso de viagens corporativas, se você comprar mais de uma vez com a mesma companhia. É um mundo de possibilidades que ajudam na lucratividade e é impossível de resistir.

3º grau

Considerado o tipo mais comum de price discrimination, o terceiro nível diz sobre a precificação de acordo com grupos de pessoas. Por exemplo, no cinema, existem preços diferentes para estudantes, crianças abaixo de determinada idade, etc. 

Assim, você adequa o valor à situação financeira do grupo, da mesma forma que no primeiro caso, porém por um valor fixo. 

Como usar para o turismo?

Existem muitas formas de aplicar price discrimination para o turismo. 

Redes hoteleiras podem variar o preço de acordo com a quantidade de ambientes no quarto, camas, opções de serviços, atividades no hotel. 

Já as companhias aéreas podem oferecer promoções para ida e volta, para família, por idade, pacotes especiais para destinos mais procurados etc. 

É muito comum também nesse segmento fazer oferta por demanda, de forma que em períodos com fluxo mais intenso, os serviços sejam precificados de acordo com o que a maioria está disposta a pagar.

Isso também serve para guias turísticos, transfers e tudo que envolve a viagem. O importante é conhecer bem o seu público e atender à necessidade dele quando ele precisa. 

Por isso, vale se modernizar, automatizar e ficar de olho em todas as tendências do mundo corporativo.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *